A Primeira Vitória Islandesa em um Torneio Internacional

Posso não saber muito sobre você, mas sei que, se você acompanhou a última Eurocopa, você deve ter se surpreendido com a seleção da Islândia, que era dada como “morta” no grupo em que estava, mas a seleção islandesa não só passou de fase, como também surpreendeu a todos chegando até às quartas-de-final do torneio. Você deve até ter torcido para os islandeses nesta Euro, ainda mais por ser aquela “equipe pequena que estava surpreendendo” e pode até ter sentido um pouco quando eles foram eliminados nas quartas-de-final para os franceses. E digo mais, sei que você já escutou e se arrepiou com esta narração aqui:

O narrador em questão é Guðmundur Benediktsson, que ficou eufórico com o gol da vitória de sua seleção nos instantes finais do jogo e que classificou a Islândia para a fase de mata-mata da Eurocopa de 2016!

A Islândia já havia surpreendido a todos antes mesmo da Euro, ao se classificar para o torneio, não só a classificação já seria surpreendente por natureza, como a Islândia caiu no grupo A, junto com seleções fortíssimas e tradicionais como República Tcheca, Holanda e Turquia (além disto, contava com o Cazaquistão e a Letônia no grupo). A Islândia terminou em segundo lugar na chave, se classificando para a Euro de 2016 pela primeira vez na história do país sem precisar passar pela repescagem! Somando seis vitórias, dois empates e duas derrotas, sofrendo apenas seis gols, tendo a melhor defesa do grupo e uma das melhores defesas das eliminatórias. Mais surpreendente, foi a Islândia ter vencido os dois jogos sobre a poderosa, tradicional e decadente seleção holandesa, vencendo por 2×0 na Islândia e por 1×0 na Holanda.

Com esta inédita classificação, a Islândia, que registra apenas exatos cem jogadores profissionais, se tornou o primeiro país com menos de um milhão de habitantes a conseguir classificação para um torneio de grande porte (a Islândia tem pouco mais de 300.000 habitantes), além disto, se tornou o menor país do mundo a conseguir uma classificação para um torneio como a Eurocopa (a Islândia possui cerca 103.000km²). Ou seja, antes mesmo da Eurocopa começar, a Islândia já mostrava uma incrível força e surpresa no torneio.

CAMINHO DAS DUAS EQUIPES ATÉ O JOGO

Sigþórsson disputa de cabeça a bola com Prödl

Sigþórsson disputa de cabeça a bola com Baumgartlinger

Eis que chegava a terceira e última rodada do grupo F da Euro 2016. A tabela se encontrava com a Hungria liderando com quatro pontos, logo atrás estava a Islândia com dois pontos, assim como Portugal, em terceiro lugar (Islândia estava na frente por ter feito mais gols) e, por último, estava a Áustria, com apenas um ponto. Apesar de tudo, todas as seleções tinham chances de ser tanto classificadas como eliminadas, visto que ainda tinham rodadas para acontecer nos outros grupos e se classificam os dois primeiros colocados de cada chave além dos quatro melhores terceiros colocados.

Até então, a Islândia havia somente empatado em 1×1 na Euro, primeiro com Portugal, após sair perdendo, e depois com a Hungria, aonde a Islândia saiu ganhando, foi dominada pelos húngaros, mas aguentou firmemente a pressão até os 44 do segundo tempo. Já por sua vez, a Áustria havia perdido na estreia para os húngaros por 2×0 e empatado sem gols com os portugueses no segundo jogo (com Cristiano Ronaldo perdendo um pênalti nesta partida). A Islândia chegava disposta a não ter mais um empate em um gol, enquanto a Áustria queria pelo menos um gol além da vitória.

O JOGO

Apita o árbitro polonês Szymon Marciniak, começa o jogo no Stade de France em Saint-Denis. Mal começa o jogo e a Islândia já vem partindo para cima querendo o gol. A bola está com Guðmundsson, o camisa 7 islandês, que passa a bola para Bjarnason, que já toca em seguida para Sigurðsson, que devolve para Guðmundsson. Uma bela jogada dos islandeses. Guðmundsson ajeita e bate forte de fora da área no gol, a bola explode no travessão dos austríacos e volta para o jogo, na continuação da jogada, Sigþórsson não consegue dominar e o zagueiro austríaco Prödl afasta. O jogo já está pegando fogo logo com dois minutos de jogo!

Em seguida, a Áustria chega sem perigo, tiro de meta para a Islândia. O goleiro Halldórsson cobra, passa para Árnasson, que vê o austríaco Arnautović chegando e recua para o goleiro novamente, Halldórsson se atrapalha, quase que Arnautović pega a bola e mete para o gol, mas o goleirão conseguiu afastar e por pouco não “entregou o ouro”.

Dezoito minutos de jogo, lateral para a Islândia, o capitão Gunnarsson vai para a cobrança, ele arremessa a bola na área e Árnason dá um leve desvio. A bola cai no pé de Böðvarsson perto da marca do pênalti, o atacante islandês não toma conhecimento da marcação de Baumgartlinger, avança e toca no canto esquerdo do goleiro Almer para abrir o placar para a Islândia! A partida estava 1×0 para a zebra da Euro e a Áustria precisava se arriscar e marcar gols mais do que nunca para se salvar na Euro, algo que não tinha mostrado até agora no torneio.

O primeiro gol da Islândia

O primeiro gol da Islândia

A próxima grande chance vem aos 35 da primeira etapa, com a Áustria, que tem escanteio. Alaba na cobrança, ele joga para área, mas os austríacos não conseguem fazer algo que preste com a bola. Entretanto, a bola sobrou para o zagueiro Baumgartlinger, que domina com calma e lança a bola na área para Alaba, que é segurado e cai na marcação de Skúlason. É pênalti para a Áustria! Um pênalti bobo cometido por Skúlason, mas ao mesmo tempo polêmico. O lateral-direito Dragović vai para a cobrança, ele bate e… perdeu! Dragović chutou no pé da trave direita da Islândia, em seguida a bola foi para fora. Dragović perdia uma enorme chance de empatar o jogo.

A Áustria até tenta criar, mas pouco resolve, enquanto a Islândia tenta nos contra-ataques. Fim de primeiro tempo, a Islândia está conseguindo a primeira vitória da história do país na Euro até o momento.

E vamos para o segundo tempo com a Islândia sem alterações e a Áustria vem com duas mudanças, o técnico Marcel Koller saca o zagueiro Prödl e o volante Ilsanker para colocar o meia Schöpf e o atacante Janko, deixando a equipe austríaca mais ofensiva. Começa o segunda tempo, a Áustria vem com tudo, a primeira chance é pela esquerda, com Arnautović, que cruza a bola na área islandesa, a zaga corta, mas a bola sobra no pé de Alaba dentro da área ainda, ele chuta e Árnason faz um corte milagroso para salvar a Islândia!

E mais uma vez a Áustria, com Schöpf tabelando com Alaba, Schöpf recebe a bola um pouco adiante do meio-campo e vem avançando, segue carregando, a marcação chega, mas ele invade a área, dribla a marcação de Árnasson e chuta de canhota no cantinho de Halldórsson para empatar o jogo! Um golaço! Schöpf deixava tudo igual, comemorou muito o primeiro (e aquele que viria a ser o único) gol da Áustria na Euro! Agora eles estavam de volta no jogo.

O jogo passou a estar bem pegado, com as duas equipes querendo a bola e resolver, precisando de gols para classificar para a segunda fase. A Islândia briga muito e vence, está com os islandeses a bola, que fazem uma bela triangulação. A bola está com Bjarnason, que carrega, tenta passar pela marcação, mas acaba acertando um passe para Böðvarsson, que ajeita para Sigurðsson chutar da entrada da área e obrigar o goleirão Almer a fazer uma grande defesa.

Já são 35 do segundo tempo, o treinador sueco da Islândia, Lars Lagerbäck, saca Sigþórsson e coloca Traustason. Em seguida, falta para a Áustria, Alaba na cobrança, ele chuta de relativamente longe e obriga Halldórsson a espalmar a bola para escanteio. A falta foi bem batida apesar de no meio do gol. As duas equipes seguem tentando um gol que poderia ser o da vitória e o da classificação!

Já estamos nos acréscimos, 49 do segundo tempo. A Islândia vem, mas a jogada é irregular, em impedimento. Todos os austríacos vão para a área e a Islândia corre para se defender. Só tem o goleiro Almer no campo de defesa austríaco. Ele lança a bola na área islandesa, a zaga tira e Bjarnason afasta como pode… a bola sobra livre para Sigurðsson que carrega, corre, avança com a bola, atravessa o campo, a marcação de Alaba e Klein tenta acompanhar a medida que Bjarnason e Traustason também avançam. São três contra dois. Sigurðsson invade a área e enfia a bola para Traustason chegar de carrinho e concluir para o gol, o goleiro Almer tentou desviar, mas a bola entra! É gol! Aos 49 do segundo tempo, a Islândia faz o segundo gol e está na frente do placar e prestes a fazer história!

Acaba o jogo! A Islândia vence a Áustria com um gol nos acréscimos e faz história na Euro garantindo a classificação para as quartas-de-final do torneio terminando em segundo lugar na chave na somatória total dos pontos. Os islandeses foram comemorar com a torcida após a vitória, uma linda cena que foi um dos grandes marcos daquela Euro.

Após a vitória, os jogadores, liderados pelo capitão Gunnarsson, vão saudar a torcida e vice-versa.

Após a vitória, os jogadores, liderados pelo capitão Gunnarsson, vão saudar a torcida e vice-versa.

PÓS-JOGO

A Áustria estava eliminada, já a Islândia, como dito anteriormente, estava classificada para as oitavas-de-final da UEFA Euro 2016 e iriam enfrentar a Inglaterra e por lá, continuariam a fazer história! Os islandeses venceram, de virada, a Inglaterra por 2×1 e logo na primeira participação em uma Eurocopa, a Islândia já chegava às quartas-de-final do torneio, fase em que foram eliminados para os franceses, os donos da casa, após perderem por 5×2. Apesar disto, a campanha da grande zebra da Eurocopa foi memorável e com certeza agradou a todos com o futebol e garra mostrada dentro e fora de campo!

****

E esta foi a décima edição do Jogos “Inenarráveis” aqui no blog do Goleiro de Aluguel! Espero que vocês tenham gostado da abordagem deste histórico jogo para a Islândia, que nunca antes havia conseguido chegar a uma competição internacional de seleções, mas quando o fez, fez muito bonito. Semana que vem o quadro volta abordando a história de mais um jogo de tirar o fôlego! Até semana que vem!

JOGO: