fbpx
 O texto de hoje demorou pra sair porque eu estava analisando de forma repetitiva os gols do jogo entre Alemanha e Suécia. E foi durante a busca de um termo para definir os gols sofridos por Neuer e Olsen na bela partida disputada na tarde de ontem, que caí nesse dilema.
 
Antes de continuar, quero deixar claro que fui goleiro. Atuei em nível competitivo, por isso o que escrevo aqui tem também conhecimento de causa. Não é teoria, é pura vivência de debaixo das traves. Mas é também só a minha opinião. Vc pode enxergar o jogo por outro prisma, ter outras vivências, outras técnicas, outros tipos de treino, etc.
 
O que vi ontem, foi uma atuação média do Neuer. Levando em consideração que ele é Manuel Neuer. Comecei por ele, pq quero começar definindo o que é um FALHA de um goleiro no meu ponto de vista.
 
Neuer fez 2 boas intervenções. A primeira no lance em que Berg arranca de frente pra ele, sofrendo pressão do Boateng, que na minha opinião, deslocou o atacante sueco, que mesmo assim conseguiu finalizar de forma consciente tentou tocar na saída do goleiro alemão. Entretanto, o goleirão saiu cobrindo o espaço do gol e com a mão direita evitou o gol da Suécia.
 
Em outro lance, desviou com a mão de canto para linha de fundo um belo desvio de cabeça em seu canto direito. Uma bela defesa.
 
Mas quero chamar a atenção para o gol que ele sofreu. Observe que a bola é lançada da intermediária de ataque da Suécia, e o atacante Toivonen surpreende Neuer, e logo após o domínio, toca por cima do guapo.
 
Costumo analisar as ações do goleiro considerando principalmente seu estilo de jogo. Neuer possui um estilo arrojado, moderno de jogar. Sempre na cobertura da zaga, e muito rápido nas saídas desse tipo de lance. Por isso acho que ele falhou nesse lance. Acredito que o guapo estava mal colocado, muito dentro do gol (não custa reforçar que estou considerando o próprio Neuer como referência). O Neuer que eu conheço, estaria um pouco mais adiantado antes do lançamento, e no “viajar” da bola ou teria tentado uma interceptação, ou pelo menos teria se posicionado de forma que permitisse uma ação de “ataque” da bola antes que o atacante conseguisse encobri-lo. Destaco que isso não desqualifica a bela enfiada de bola e a finalização linda da equipe sueca. Mas sim, acredito que Neuer tenha ficado titubeante naquele momento, talvez devido a sua falta de ritmo, já que volta de lesão séria e um longo período sem atuar. Fato é que na forma física e técnica que estava aqui na Copa do Mundo no Brasil, dificilmente tomaria um gol por cobertura desses, do alto dos seus 1,92m. Neuer falhou pq sofreu um gol o qual ele possuía recursos técnicos para evitar.
 
UM GOL DEFENSÁVEL na minha concepção, se trata de um gol sofrido por uma decisão tomada, que não necessariamente é errada, mas que se analisado por um ponto de visa diferente, possuiriam outros caminhos que também poderiam ter sido escolhidos para tentar evitar o mesmo gol.
 
Um exemplo clássico é o gol da virada alemã, onde depois de uma falta cobrada em 3 toques, Tony Kroos dá uma chapa linda, com a curva que vai saindo do alcance do arquero da Suécia e encontra o lado esquerdo de sua meta.
 
Vamos analisar alguns pontos importantes.
 
– A falta foi sofrida quase na linha de fundo, quase sem ângulo, mas a intenção da falta ser cobrada de forma curta, foi justamente para que o batedor alemão ficasse em melhor posição para finalização;
 
– O posicionamento escolhido pelo guapo no 1º momento, foi para um chute direto, ou um cruzamento forte e direto (sem toque curto) no 1º pau ou rasante;
 
– Ao perceber que a bola havia sido tocada de forma curta, talvez por não ter uma boa visão da bola, que estaria encoberta pela barreira, Olsen opta por não mudar sua posição e espera o chute e a viagem da bola, até que ela entre em seu campo de visão para reagir e tentar a defesa saltando na diagonal para trás, o que quase funciona, uma vez que, seus dedos raspam a bola e quase conseguem evitar a vitória da Alemanha.
 
O goleiro sueco falhou? Lógico que não! Ele fez o que tinha treinado. Tanto que por milímetros não evitou o gol. Toda sua lógica de movimentação faz total sentido. Ele fez o que todo goleiro alto (ele tem 1,98m) faria, já que precisa percorrer uma distância menor para executar a defesa e consegue com mais facilidade, chegar na bola em pontos mais distantes.
 
Por ter minha técnica toda baseada no futsal, eu fiz uma leitura diferente do lance. Acredito que goleiros mais baixos e mais ágeis, como Ochoa e Navas, tomariam decisões diferentes visando aumentar as CHANCES de defesa. Destaco a palavra CHANCES pq não há como definir se isso daria certo, ou não.
 
Pense comigo:
 
– Eu não colocaria 2 homens na barreira para induzir a bola “mais fácil” para minha defesa que seria uma tentativa de chute direto, já que estava com um ângulo ruim de chute. Na pior das hipóteses, teria uma visão melhor da ação que foi tomada;
 
– No momento em que a bola foi tocada pela 1ª vez por Kroos, eu teria dado um passo longo, na diagonal esquerda, para frente com o intuito de diminuir o seu ângulo de chute e aumentando minha cobertura num possível cruzamento rápido no 1º pau;
 
– Devido a decisão citada aí encima, no caso do chute, eu executaria um salto com um movimento de ataque, na diagonal para frente à minha esquerda, pois eu chegaria na bola numa posição diferente da curva colocada no chute, antes da bola ter “saído” tanto de mim.
 
Entende porque eu digo que não se trata de uma falha, pois ele não errou. Mas sim um gol defensável pq existiriam outros caminhos que talvez alcançariam um sucesso na ação.
 
E um frango, é um FRANGO! O frango é uma bola fácil, que por decisão tomadas de forma errada, ou por falta de atenção, ou por falta de sorte (que eu acho menos provável) o guapo deixa a redonda passar. Mas o que entrega se foi um frango ou apenas uma falha, é a cara de constrangimento que ficamos após o lance. E antes que vc venha com aquele discurso que “vc é goleiro e não deveria usar esse termo…” te digo que se o Taffarel, o maior goleiro brasileiro de todos os tempos, encara seus erros com essa leveza, não sou eu que vou questionar. Acredito até que o Taffa foi o Taffa, pq nunca se deixou abater com seus “penosos”, que não foram poucos (posso falar pq sou colorado e apaixonado pela seleção e sofri), e também nunca se empolgou demais com as atuações brilhantes. Numa entrevista com dele, ouvi uma fala que resume esse papo de uma forma bem humorada e simples. Anota aí: “Goleiro bom é aquele que pega todas as bolas fáceis. Porque as difíceis, o próprio nome já diz, são DIFÍCEIS. Se vc pega uma difícil, é um milagre. Se vc não pega uma fácil, é um frango!”. (TAFFAREL, Cláudio André Mergen).
 
Escrito por Igor Costa.